O Que Fazer se Seu Bebê Começar a Ter Vômito

O Que Fazer se Seu Bebê Começar a Ter Vômito

Quando seu bebê vomita, perde líquidos preciosos para o organismo. É importante repor os líquidos para que ele não desidrate. Você pode ir dando soro caseiro ou soluções especiais para reidratação à venda nas farmácias. Para fazer o soro caseiro, use colherinhas medidoras vendidas em farmácias ou distribuídas no posto de saúde.

Se não tiver a colher à mão, a medida é um punhado de açúcar e uma pitada de três dedos de sal em 200 ml de água filtrada, fervida e fria, o gosto deve ser parecido com o da lágrima. Pode também alternar com elas bebidas como água de coco, chá, suco ou água. As bebidas isotônicas possuem mais minerais que o ideal para essas situações. Experimente seguir as instruções abaixo:

– Quando a criança parar de vomitar, comece a dar pequenas quantidades de água, soro caseiro ou a bebida que você tiver à mão, a cada meia hora. Bebidas frias ou geladas “ficam” mais fácil no estômago que bebidas mornas ou quentes. Mesmo que ela queira mais, vá dando só de pouquinho e pouquinho, para não precipitar um novo vômito e perder tudo o que ela já tomou.

– Se ela conseguir manter esses líquidos no estômago, vá dando 50 ml de soro caseiro, água de coco ou solução para reidratação alternados com 50 ml de qualquer outro líquido de meia em meia hora.

– Quando a criança tiver conseguido tomar duas ou três dessas doses sem vomitar, passe a dar leite materno ou fórmula de leite em pó mais diluída, e vá aumentando a quantidade de cada mamada para entre 80 e 100 ml, alimentando-o a cada três ou quatro horas.
No caso de o vômito não parar com essas medidas, fale com o pediatra.

– Dependendo do caso, ele pode receitar medicamentos contra o vômito que podem ser administrados na forma de supositórios. Sempre que a criança tiver tomado algum medicamento antiemético (contra o vômito), espere entre meia hora e uma hora para começar a dar líquidos para ela.

– E fique sempre atenta a qualquer sinal de desidratação (letargia, boca seca, diminuição no xixi, ausência de lágrimas). Se o bebê não vomita há 12 horas, você pode começar a retomar a alimentação normal, mas continue dando bastante líquido.

– Comece com alimentos fáceis de digerir, como papinhas leves de arroz ou tubérculos como a batata (pode ser até potinho industrializado), frutas como pêra, maçã e banana-maçã e sorvetes sem leite.

– Dormir também pode ajudar a acalmar o bebê e a diminuir os vômitos; o conteúdo do estômago muitas vezes é transferido para o intestino durante o sono, o que reduz a vontade de vomitar. Só dê remédios contra a náusea sob orientação médica…

Cuidado com a Ansiedade em Excesso

Cuidado com a Ansiedade em Excesso

As pessoas sofrem com ansiedade mas não sabem se realmente o que é. Esse problema tem cura? O que pode ser feito? É horrível a sensação de pânico a eterna espera, porque quem sofre de ansiedade sofre por antecedência, a coisa ainda vai acontecer mas a pessoa já começa a sofrer muito antes.

Há uma grande diferença entre ansiedade e pico de ansiedade. É totalmente normal termos uma certa ansiedade, isso até nos ajuda na adaptação e a nos defender, além de que os médicos garantem que isso é adaptativo e não patológico.

A ansiedade só poderá ser chamada assim se for prolongada, irracional, incontrolável algo que possa interferir no seu dia-a-dia, uma situação difícil de aguentar,

Têm ansiedade de várias maneiras, antecipatória, ataques de pânico que podem chegar a quadros fóbicos, medo, inquietação, sensação de perigo, insônia, medo de morte súbita, medo de perder alguém que ama, é uma situação horrível.

Pessoas que estão sofrendo com ansiedade devem se cuidar, antes de tornar isso um problema crônico. Os médicos normalmente indicam sedativos, anciolíticos até mesmo seções de yoga.

Ansiedade não tratada pode levar o paciente a uma depressão profunda, amortecimento nos membros, principalmente nas mãos, o pulso acelera a todo momento, a boca fica seca, sentem dores no peito, palpitação. Esse problema é muito comum em  grandes metrópoles…

Como Reconhecer os Sintomas Quando o Assunto é Dor no Peito

Como Reconhecer os Sintomas Quando o Assunto é Dor no Peito

Muita gente entra em desespero ao sentir dor no peito que irradia para o resto do corpo. Geralmente, a suspeita é de enfarte. Mas para ter certeza, o melhor a fazer é procurar um hospital. Depois de alguns exames, muita gente tem a surpresa: a dor era causada por gases. A gravidade do enfarte nem se compara com a dos gases, mas a sensação é bem parecida e o temor, justificado.

Os gases pressionam o diafragma e a dor é irradiada para a coluna e o tórax, o que causa a sensação parecida com a do enfarte. Quem tem histórico de gases, problemas digestivos, disfunção da flora intestinal e distensão do abdome deve ficar atento para não ser pego de surpresa por um ou outro problema.

Tratar os gases requer um pouco de disciplina para reeducar o intestino, tratar a prisão de ventre e analisar a combinação dos alimentos ou possíveis intolerâncias. Leite e feijão, por exemplo, provocam muitos gases e devem ser retirados do consumo diário. Quem não consegue abrir mão do feijão, pode cozinhá-lo com folhas de louro, que diminuem a produção dos gases.

Outra opção é beber chá de hortelã ou erva-doce todos os dias. A mudança na dieta é fundamental na luta contra os gases. Evitar alimentos que formam gases ou que na combinação com outros podem formá-los é muito importante.

Quem já está com o abdome distendido tem a opção de tomar remédios com indicação médica, fazer compressas de água quente na barriga ou partir para um tratamento com colonterapia (lavagem intestinal) e reequilíbrio da flora intestinal por meio de lactobacilos…

Como Acabar com o Mal Cheiro dos Pés

Como Acabar com o Mal Cheiro dos Pés

Você chega em casa, tira os sapatos e se arrepende um segundo depois. Aquele cheiro de “queijo estragado” toma conta do ambiente todo e você sente um alívio por estar sozinha. Conhecido popularmente como chulé, a bromidrose é um mau cheiro causado pela interação de bactérias com o suor da planta do pé.

Não é necessário que a pessoa tenha uma transpiração excessiva nos pés para ter bromidrose. É a ação das bactérias naturais da região com o suor que determina o odor característico. No entanto, é mais comum que o odor fétido do chulé apareça em pessoas com sudorese excessiva. A bromidrose está mais presente em pacientes que apresentam uma sudorese excessiva nos pés.

E isso pode vir acompanhado de um aspecto esbranquiçado da pele ou de uma descamação dos pés. Para amenizar o cheiro desagradável, a solução é diminuir o suor dos pés ou abaixar o número de bactérias presentes na região. Desodorantes e antitranspirantes diminuim a flora bacteriana e a transpiração, respectivamente, da região.

O que resulta numa diminuição do odor fétido característico da bromidrose. Mais usada para conter o suor excessivo na região das axilas e nas mãos, a toxina butolínica pode ainda ser aplicada na planta dos pés. Com a diminuição do suor no local, pode-se controlar o mau cheiro do chulé.

Por ser uma conseqüência de dois fatores naturais da pele (suor e bactérias), não existe um tratamento que elimine totalmente o chulé. Não é porque o odor foi controlado que nunca mais se terá chulé. Não existe um tratamento definitivo, o cuidado deve ser diário.

Mas é sempre importante manter alguns cuidados básicos de higiene para deixar de lado o mau cheiro indesejado. Lavar bem os pés e não usar o mesmo calçado todos os dias é fundamental. As pessoas não lavam os pés direito, deixam apenas cair a água do banho e dão uma lavadinha por cima.

O correto é usar um sabonete anti-séptico e uma escova macia para limpar bem, inclusive entre os dedos e as unhas. Um pé mal lavado é sinônimo de acúmulo de resíduos de sabonete, sujeira, talco e suor entre as unhas e os dedos. A falta de cuidado e de higiene pode proliferar fungos nos pés, o que acaba resultando em um odor ainda mais forte.

O descuido com os calçados pode também ser um agravante do chulé. Além de não ser recomendado que se use o mesmo sapato todos os dias, ele deve ser limpo a, pelo menos, cada 15 dias. O sapato tem que ser lavado por dentro também, não só por fora. Refeições à base de alimentos ácidos e o estresse diário ajudam a agravar a bromidrose.

Agora, cuide dos pés e elimine o mal cheiro…

Melhores Tratamentos para Suor Excessivo nas Axilas

Melhores Tratamentos para Suor Excessivo nas Axilas

O suor excessivo é um problema que atinge cerca de 1% da população, conhecido cientificamente por hiperidrose causa o excesso de suor em determinadas regiões do corpo como mãos, pés, axilas, nuca e virilhas, fazendo com que a pessoa sofra com muitos constrangimentos.

O suor faz parte do controle de temperatura corporal, que normalmente se mantem em torno de 36ºC a 37ºC, caso a temperatura corporal aumente, o nosso sistema nervoso entra em ação estimulando as glândulas sudoríparas ou secretoras que produzem o suor em excesso, diminuindo assim à temperatura corporal.

Mas nos casos em que não há motivo aparente para a transpiração em excesso, as causas ainda são desconhecidas, embora estudos revelem que a sudorese pode estar associada a doenças neurológicas, alterações hormonais e hipotireoidismo, a boa notícia é que existem diversos tratamentos para sanar o problema.

Tratamento Tópico

É indicado para os casos mais leves, seu tratamento é feito a base de cloridróxido de alumínio, diminuindo o suor após algumas semanas.

Toxina Botulínica

Tratamento indicado para casos mais agressivos de sudorese nas mãos, pés e axilas, a base de toxina botulínica é aplicada entre o nervo motor e a glândula sudorípara, fazendo com que o nervo receba menos estímulo do sistema nervoso, diminuindo significativamente a quantidade de suor, porém deve ser reaplicada a cada seis meses.

Cirurgia de Remoção

No caso das axilas é possível fazer uma remoção das glândulas sudoríparas, realizando uma cirurgia similar a lipoaspiração, em que cânulas finas removem as glândulas.

Simpatectomia Endoscópica

Trata-se de outro tipo de cirurgia usada para os casos de sudorese das mãos e axilas, em que se danifica o caminho por onde passa o impulso nervoso, impedindo o acesso as glândulas sudoríparas.

Há diversos tipos de tratamentos que são capazes de melhorar o problema de suor excessivo tanto nas axilas como também em outras regiões, converse com seu médico…

Dicas para Aliviar Dores no Ouvido

Dicas para Aliviar Dores no Ouvido

Dor de ouvido é um problema que pode ser causado por vários fatores. Seja em crianças ou em adultos a dor de ouvido tende a piorar a noite e se agrava com o aparecimento de sinusite, resfriados e alergias.

Dependendo da causa e da gravidade, existem maneiras de diminuir o desconforto da dor de ouvido, para isso siga as dicas abaixo:

– Sente-se com o tronco ereto durante alguns minutos, pois esse procedimento faz com que as tubas diminuam de inchaço e comecem a drenar novamente, diminuindo as dores.

– Colocar o vapor do secador de cabelo próximo ao ouvido. A temperatura quente do secador ajuda a aliviar a dor de ouvido.

– Mascar chiclete ajuda a abrir as tubas de Eustáquio, por isso masque pelo menos 3 chicletes ao dia, quando estiver com dor de ouvido.

– Bocejar. O bocejo movimenta os músculos dos ouvidos e deixa-os mais relaxados.

Ao seguir essas dicas é possível atenuar a dor de ouvido mas dependendo da causa procure um médico para o tratamento adequado. Essas dicas podem ser muito úteis para aqueles indivíduos que sofrem de dor de ouvido durante uma viagem de avião, neste caso além de seguir as dicas antes do voo pode ser importante também não dormir durante a aterrisagem, pois dessa forma os ouvidos não acompanham as mudanças de pressão durante a descida e a dor pode tornar-se intensa…

Como Amenizar o Inchaço das Pernas e dos Pés

Como Amenizar o Inchaço das Pernas e dos Pés

O inchaço nas pernas é uma retenção de líquidos geralmente causada pela má circulação sanguínea que afeta principalmente os idosos e as mulheres grávidas. Ela pode ser causada por situações como alterações hormonais, sedentarismo, doença renal e doença cardíaca e nem sempre é grave, mas deve-se estar atento a este sinal pois quando é constante pode necessitar de tratamento médico.

As pernas inchadas e vermelhas ou “vazando” água são mais comuns em idosos com problemas renais ou cardíacos e isto pode ser tratado com uma dieta diurética e nos casos mais graves, com a toma de medicamentos como a Furosemida, por exemplo. Perna inchadas após o parto:

Ficar com as pernas inchadas após o parto é normal e isto se deve ao extravasamento de líquido dos vasos sanguíneos para a camada subcutânea. Este extravasamento ocorre porque durante o trabalho de parto a mulher sempre recebe muito soro fisiológico e este altera o equilíbrio de água no corpo, que depois é reabsorvida, filtrada pelos rins e é eliminada pela urina.

Este inchaço das pernas dura de 7 a 10 dias e pode ser amenizado, se a mulher caminhar mais, beber bastante água ou tomar algum suco diurético, por exemplo. Pernas inchadas no fim do dia:

Ficar com as pernas inchadas no fim do dia pode indicar que o indivíduo tenha que se movimentar mais e tenha que melhorar sua alimentação evitando o sal e os alimentos ricos em sódio como os industrializados. Esse mal atinge principalmente os sedentários e para combatê-lo, uma boa dica é comer alimentos que tenham ação diurética como a melancia, o melão e o pepino.

Apesar de não parecer, quanto mais água consumir, melhor. Seja ela natural, nos sucos ou nos chás, o importante manter o organismo devidamente hidratado. O acúmulo de líquidos no corpo pode ser causado por uma circulação sanguínea deficiente e quando isto não é devidamente tratado, pode provocar problemas de saúde mais graves como o aparecimento de trombos e de problemas na pele das pernas e dos pés…

Proteja seu Bebê das Doenças Típicas do Inverno

Proteja seu Bebê das Doenças Típicas do Inverno

O frio, as variações térmicas, a baixa umidade do ar, o aumento na concentração de poluentes e o fato de passarmos boa parte do dia em ambientes fechados são um prato cheio para que as crianças fiquem doentinhas. As crianças são as principais vítimas do inverno, pois ainda não têm a imunidade madura e levam mais tempo para se adaptar às mudanças do clima.

Saiba agora quais medidas você deve tomar já para aumentar a imunidade do seu pequeno e os cuidados simples que impedem que ele fique mais suscetível às doenças comuns do inverno.

Manter a caderneta de vacinação em dia

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe ocorreu em maio e teve como um dos objetivos imunizar as crianças de 6 meses a 2 anos. Quem perdeu pode recorrer às clínicas particulares ou verificar se ainda há doses disponíveis nos postos de saúde.

A vacina é segura, evita os tipos mais graves da doença e o aparecimento de complicações, como pneumonia. O ideal é que todos que convivem com o bebê sejam vacinados para evitar que o vírus fique circulando dentro de casa.

Garantir o leite materno

Investir no aleitamento exclusivo até o sexto mês é uma das melhores maneiras de fortalecer o sistema imunológico do bebê.

Preparar um cardápio equilibrado

Dê preferência aos alimentos frescos, pois eles são ricos em vitaminas e antioxidantes, substâncias com ação benéfica sobre as defesas do bebê. O ácido fólico é encontrado em verduras e legumes verde-escuros, como espinafre, brócolis e couve. A vitamina do complexo B está presente nos cereais e nos pães integrais.

Já a vitamina C está nas frutas cítricas, no kiwi e no morango. A vitamina D é encontrada nos ovos e peixes. Ingerir alho e cebola levemente cozidos também ajuda, já que combatem a reprodução dos vírus. Esses micro-organismos gostam de ambientes secos. Portanto, ofereça muito líquido ao seu filho.

Lançar mão do umidificador

Ele melhora a qualidade do ar, mais seco nesta época, e aumenta a produção de secreção nas vias aéreas.

Manter a casa bem limpa e arejada

A umidade e a poeira podem desencadear e piorar doenças alérgicas, como rinites, bronquites e sinusites.

Não usar remédios sem orientação médica

É perigoso dar o medicamento que sobrou da última vez que o pequeno ficou doente ou que foi prescrito para o irmão mais velho. No caso dos antibióticos, além de mascarar alguns sintomas, o uso indiscriminado pode tornar as bactérias cada vez mais resistentes e dificultar o tratamento.

Levar o bebê para tomar sol

Os raios UV estimulam a produção de vitamina D no corpo, importante para a imunidade. De cinco a dez minutos diários bastam.

Pronto… Assim a criança fica protegida e com muita saúde…

Atitudes Simples Evitam Dores na Coluna

Atitudes Simples Evitam Dores na Coluna

Uma boa postura é a posição que uma pessoa assume com menor esforço muscular e, ao mesmo tempo, protegendo as estruturas de suporte contra traumas. Os desvios da coluna, tais como a lordose cervical, a cifose dorsal,lordose lombar e a escoliose, podem sobrecarregar outras articulações, como as dos ombros, braços, quadris, joelhos e pés.

Esses desvios resultam de alterações da curvatura normal da coluna vertebral, tornando-a mais vulnerável ás tensões mecânicas e traumas. O que você pode fazer para prevenir doenças na coluna:

– A adoção de posturas adequadas tanto ao sentar, repousar ou nas atividades do cotidiano são essenciais,

– No período da gravidez, também é imprescindível tomar os cuidados, pois as estruturas se tornam frágeis e mais suscetíveis à traumas.

– Exercícios leves de alongamento e condicionamento feitos a partir do quarto mês de gravidez, e sob supervisão médica, são importantes para manter a flexibilidade e condicionamento físico, prevenindo a dor nas costas, além de auxiliar no equilíbrio emocional e manter as condições físicas ideais da futura mamãe durante o período da gravidez.

– A natação, hidroginástica ou simplesmente caminhar são atividades físicas que movimentam o corpo globalmente e são as atividades mais indicadas.

Assim você evita as dores e os problemas, ficando sempre com a saúde em dia…

Quais São as Causas da Anemia?

Quais São as Causas da Anemia?

A anemia pode ser causada por diversos fatores, entretanto, o seu aparecimento está diretamente ligado a uma alimentação debilitada, sendo considerada assim uma deficiência nutricional que pode levar meses e até mesmo anos para ser descoberta, pois muitas vezes ela é assintomática, por isso, é preciso observar sempre o próprio corpo para evitar possíveis complicações mais sérias no organismo.

Há vários tipos de anemia, a causa por deficiência de ferro, as provocadas pela falta de vitamina B12 e as causadas pela falta de ácido fólico, sendo esta última a mais rara. A pessoa tem sintomas como cansaço constante, dores de cabeça, fraqueza, pele amarelada, olhos brancos, unhas fracas, cabelos fracos, sonolência, palidez, mãos e pés frios e uma diminuição nas habilidades cognitivas e psicomotoras.

Já nas crianças um dos sintomas mais comuns é o atraso no crescimento e, por isso, as pessoas demoram meses e até mesmo anos para procurar uma ajuda especializada. Pois, o problema maior está relacionado com o não tratamento da doença, pois se não tratada, a anemia pode oferecer sérios riscos à saúde, pois essa deficiência nutricional pode agravar outros problemas de saúde, como por exemplo, complicações coronarianas.

Assim, um paciente que já está com a doença e tem predisposição para desenvolver males do coração estará ainda mais suscetível a sofrer um infarto. Médicos alertam que outro risco associado à descoberta da doença já em estágio avançado.

Para saber se você tem a doença ou não é indicado ficar de olho nos sintomas típicos da doença, sendo fundamental o tratamento médico, o qual deve ser iniciado rapidamente, afinal as anemias podem ser classificadas como agudas ou crônicas, dependendo da sua intensidade e estágio.

Por isso, para acabar de uma vez por todas com a anemia é necessário ter uma dieta equilibrada e balanceada, rica em nutrientes, os quais chegarão para a corrente sanguínea, ajudando na manutenção da hemoglobina. Invista em alimentos ricos em ferro, vitamina B12 e ácido fólico.

Entretanto, o problema da anemia pode também estar relacionado com uma deficiência causada pela dificuldade do organismo em absorver os nutrientes do alimentos, daí a importância de fazer um acompanhamento médico mais aprofundado e verificar as possíveis causas da não absorção correta dos nutrientes em geral.

As pessoas mais propensas à anemia são as mulheres em período menstrual e gestacional e também crianças e idosos que tem dificuldade para se alimentar, causando assim um desequilíbrio nutricional no organismo, por isso, a atenção em especial na alimentação na infância, gravidez e velhice.

Para detectar o problema são feitos vários exames laboratoriais, como o hemograma que é capaz de detectar a anemia.

Eliminando de Vez os Gases

Eliminando de Vez os Gases

Todo mundo tem gases intestinais. Arrotar ou soltar gases é normal, porém pode ser embaraçoso. Desta forma, muitas pessoas procuram meios de acabar com os gases intestinais, pois acham que soltam gases muito freqüentemente ou têm a barriga inçada por gases. Na realidade, pessoas que realmente têm excesso de gases intestinais são raras.

Porém, há meios de acabar com os gases em excesso diminuindo a ingestão de certos alimentos. Na maior parte do tempo, os gases do corpo não têm cheiro. O odor dos gases intestinais eliminados vem do enxofre produzido por bactérias no intestino grosso.

Algumas vezes, os gases intestinais e estomacais causam inchaço e dor. Nem todos têm esses sintomas. O grau de desconforto é decorrente da sensibilidade da pessoa aos gases, e da quantidade de gás no intestino.

Como acabar com os gases intestinais ou seu excesso?

Mudar o que come ou bebe pode prevenir ou reduzir os gases intestinais. Se você acha que têm muitos gases, pode tentar as seguintes dicas antes de procurar um médico para acabar com os gases intestinais. A quantidade de gases intestinais produzidos por certos alimentos varia de pessoa para pessoa.

A única forma de saber seus próprios limites é acompanhar o que come e quantos gases intestinais aparecem depois. Alguns alimentos que causam gases intestinais incluem:

– Feijões.
– Vegetais como brócolis, repolho, couve-de-bruxelas, cebola, alcachofra e aspargo.
– Algumas frutas como pêssego, pêra e maçã.
– Grãos integrais.
– Refrigerantes e sucos.
– Laticínios e sorvetes.
– Alimentos empacotados que contêm lactose, um tipo de açúcar.
– Alimentos dietéticos, e doces e chicletes sem açúcar.

Mantenha registro dos alimentos que parecem causar gases intestinais, e suas quantidades consumidas. Também ajuda registrar a quantidade de vezes que elimina gases diariamente.

Se depois de todas as providências para acabar com gases intestinais ainda assim precisar procurar um médico, leve o diário com você para mostrar a ele…

Dicas para Correr no Inverno Sem Prejudicar a Saúde

Dicas para Correr no Inverno Sem Prejudicar a Saúde

Muitas pessoas evitam totalmente o frio exercitando-se em ambientes fechados durante o inverno, porém, aquelas que decidem continuar com o exercício ao ar livre, desde que bem agasalhadas, não costumam correr um grande risco, pois o exercício faz com que o corpo gere grandes quantidades de calor.

A sensação subjetiva de fadiga diminui durante a prática de atividades esportivas em temperaturas baixas, predispondo as pessoas à ocorrência de lesões, pois acabam ultrapassando seus limites de resistência. O aquecimento deve ser feito no mesmo ambiente em que praticará a atividade física, para ajustar progressivamente a temperatura corporal do organismo.

Este aquecimento deve ser feito com várias camadas de roupa, para que o organismo não fique exposto subitamente a mudanças de temperatura. Quando interromper a atividade, você deve se vestir imediatamente. O outono-inverno chegou e para que você continue treinando aquecido vale a pena ter em seu guarda roupa um agasalho conhecido como “fleece”.

Ele tem a função de manter seu corpo aquecido não bloqueando a sua transpiração, permitindo que seu corpo respire e principalmente proporcione conforto térmico. Leve e pouco volumoso, confeccionado de uma forma que cria uma camada de isolamento térmico perfeita para atividades em ambiente outdoor.

Na hora que resolver comprar um para treinar no frio alguns fatores importantes você não pode esquecer. A gramatura do tecido, que influi diretamente no volume, peso e capacidade de isolamento. O fluxo de ar e transpirabilidade também são fatores importantes, que significam o quanto fechado ou aberto é a trama do tecido.

Sempre opte por um modelo leve e bem ventilado que não esquenta quando está treinando, deixando o suor secar e servindo de abrigo quando termina seu exercício. Para atividades menos intensas como a caminhada opte por um modelo com trama mais fechada. Vale a pena investir neste agasalho que será muito útil para não desistir de treinar quando estiver muito frio.

Pense nisso e bons treinos…

Aprendendo a Evitar Problemas Respiratórios no Inverno

Aprendendo a Evitar Problemas Respiratórios no Inverno

O inverno ainda não começou, mas o frio já apareceu e, com isso, algumas doenças podem afetar as pessoas com mais facilidade. Alergia, resfriado, asma e gripe são apenas algumas das doenças que se intensificam a partir de agora. Por isso, os cuidados com a saúde devem ser redobrados.

Algumas dicas para manter a saúde no frio:

– Fique atento às variações de temperatura. Em casa, no trabalho e em outros locais fechados, costuma-se sentir calor. Porém, ao sair destes ambientes, a brusca queda de temperatura pode facilitar a ocorrência de doenças. Agasalhe-se antes de sair;

– Ingerir líquidos quentes ao longo do dia, como chás, café e chocolate quente, ajuda a manter o corpo aquecido, mas deve-se evitar o exagero no consumo desses produtos.

– Mantenha a higiene doméstica, evitando o acúmulo de poeira, que desencadeia diversos problemas alérgicos;

– Evite banhos com água muito quente, que provocam ressecamento da pele;

– Evite exposição prolongada a ambientes com ar condicionado_ quente ou frio;

– As pessoas com alergia devem ficar atentas a cobertores que soltam pelos. Substituí-los por mantas de tecido sintético ou algodão pode auxiliar na prevenção de rinites e outros quadros alérgicos;

– As alergias também podem ser reduzidas lavando e secando ao sol, antes de usar, mantas, cobertores e blusas de lã, guardadas por muito tempo em armários. Pacientes com antecedentes como bronquite e rinite costumam ter crises nesta época. É importante procurar um médico e seguir suas recomendações;

– Atenção ao sol. Mesmo com o frio é importante manter o cuidado com o sol, utilizando protetores, especialmente quando o céu estiver “limpo”;

– Tome muito cuidado com o acesso de crianças pequenas à cozinha. Evite que brinquem neste ambiente, atraídas pelo calor. Líquidos e panelas quentes causam graves acidentes. Em caso de queimadura a orientação é buscar atendimento médico imediatamente.

Assim você passa o inverno e sua saúde fica sempre em dia…

Como Tratar e Prevenir um Cisto Sebáceo

Você Cabe Como Tratar e Prevenir um Cisto Sebáceo?

Os cistos sebáceos surgem normalmente de folículos capilares inchados. Lesões na pele também podem induzir à formação de cistos. Uma bolsa de células surge na pele, dentro da qual é secretada uma proteína chamada queratina.

Esses cistos são encontrados normalmente no rosto, no pescoço e no tronco. Normalmente, são nódulos que crescem devagar, não apresentam dor e podem ser movidos debaixo da pele. Porém, os cistos podem, à vezes, ficar inflamados e sensíveis. Na maioria dos casos, o médico pode diagnosticar esse tipo de cisto simplesmente examinando sua pele.

Ocasionalmente, pode ser necessária uma biópsia para descartar outras condições. Normalmente, o principal sintoma é um nódulo pequeno e não doloroso debaixo da pele. Se o nódulo ficar infectado ou inflamado, outros sintomas poderão incluir:

– Vermelhidão na pele
– Pele sensível ou lesionada
– Pele quente na área afetada
– Material cinza esbranquiçado com odor fétido exalado pelo cisto.

Procure seu médico se observar qualquer nova formação em seu corpo. Os cistos não são perigosos, mas o médico deve examiná-los em busca de sinais de câncer de pele. Os cistos sebáceos não são perigosos e geralmente podem ser ignorados. Coloque um pano úmido e quente (compressa) no local para ajudar a drenar e curar o cisto.

Se você tiver um pequeno cisto inflamado, o médico poderá injetar esteroides que reduzem o inchaço. Se o cisto ficar inchado, sensível ou aumentar, o médico poderá drená-lo ou realizar uma cirurgia para removê-lo. Esses cistos ocasionalmente podem ficar infeccionados e formar abscessos dolorosos.

Eles podem voltar a aparecer depois de ser removidos cirurgicamente. Portanto, fique atento aos sintomas, e, claro, procure um médico para melhor diagnóstico…

Proteja os Pequenos Contra as Doenças do Inverno

Proteja os Pequenos Contra as Doenças do Inverno

No inverno as temperaturas ficam cada vez mais baixas e, consequentemente, crescem os casos de crianças adoentadas durante esta estação. Com a preocupação de proteger seus baixinhos, a fim de espantar qualquer doença que possa atingi-los, os pais ficam mais aflitos.

O inverno é marcado pelo tempo seco, maior nível de poluição atmosférica e por mudanças abruptas na temperatura em um só dia. E, para tentar proteger as crianças das doenças mais prevalentes nesta estação, é importante destacar algumas dicas preventivas:

– Para evitar a propagação de doenças que se disseminam pelo ar, como viroses, crises alérgicas e infecções respiratórias (gripes e resfriados), é importante que os ambientes sejam bem arejados. A entrada e saída de ar diminuem o alojamento de vírus e bactérias.

– Outro ponto essencial está relacionado à limpeza dos ambientes, que devem ser livres de sujeira e poeiras. Estas aumentam a probabilidade de crises alérgicas nas crianças, principalmente quando as temperaturas caem abruptamente.

– E àqueles papais que recorrem aos aquecedores para espantar o frio, atenção: não há problema em utilizá-los, desde que sejam aqueles que não pioram a qualidade do ar. A minha recomendação é que utilizem aquecedores à água ou óleo, pois esses aparelhos dispõem de radiadores que circulam e aquecem o ar, sem ressecá-lo.

– É indispensável também que as crianças ingiram líquidos em maior quantidade. Para calcular a quantidade certa para seu pimpolho, considere de 50 a 60 ml de água diariamente, por cada quilo do peso da criança.

– Também é importante que os pequenos comam alimentos saudáveis, como sopas quentes de legumes, frutas, carnes brancas (como frango e peixe), legumes e verduras. Além disso, elas devem ser muito bem agasalhadas durante os dias frios. Vale, ainda, a indicação de consumo de bebidas mais quentes, como chá ou até um achocolatado.

E, por último, lembre-se: ao primeiro sinal de febre alta, tosse e/ou problemas respiratórios, um médico pediatra deve ser consultado. Seguindo essas orientações, você e sua família poderão aproveitar o frio e o aconchego do inverno sem preocupação…